A VIDA E OS MILAGRES DE FREI GALVÃO À LUZ DO ESPIRITISMO

No livro “Frei Galvão, Os Sonhos e O Destino de Um Santo”, Afonso Moreira Jr., palestrante do CCDPE-ECM, interpreta a vida e desvenda os milagres do santo brasileiro sob a ótica dos preceitos da doutrina espírita.

Frei Galvão, o primeiro santo nascido no Brasil, acaba de ganhar biografia romanceada à luz do Espiritismo. No livro “Frei Galvão, Os Sonhos e O Destino de Um Santo” (Aliança Editora  288 páginas), o médium e autor Afonso Moreira Jr., palestrante do CCDPE-ECM, interpreta a vida e desvenda os milagres do frade sob a ótica dos preceitos da doutrina espírita.

Antônio de Santana Galvão (1739-1822) foi o primeiro brasileiro canonizado pelo Vaticano, em 2007. Famoso por seus dons de cura, era dono de extraordinária mediunidade. Foi clarividente de grandes recursos, capaz de praticar curas à distância, profetizar, levitar e desdobrar-se espiritualmente. 

Nascido em Guaratinguetá (SP), em 1739, Antônio de Sant’Anna Galvão ingressou no Seminário Jesuíta de Belém (BA) com apenas 13 anos. Passou por diversas ordens religiosas e abriu vários conventos. Dedicado servidor da Igreja, entregou-se de corpo e alma à Ordem Franciscana, fundada por Francisco de Assis (1181-1226), o Pobrezinho da Úmbria.

Em 1774, fundou o Mosteiro da Luz, em São Paulo, na época batizado de Convento de Nossa Senhora da Luz. Durante sua construção – empenhado em concretizar um sonho –, Frei Galvão trabalhou junto aos escravos na condição de simples pedreiro. Em 1929, o Convento da Luz tornou-se mosteiro, incorporado à Ordem da Imaculada Conceição. Hoje é considerado Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO.

Aos inegáveis talentos paranormais, Frei Galvão associou a extrema humildade, honestidade e absoluta fidelidade aos princípios cristãos. Na época de seu enterro, sua fama de santo já havia se espalhado por todo Brasil. Em seu velório, em 1822, os frequentadores ávidos em conseguir uma relíquia cortaram pedaços de seu hábito, que ficou reduzido até a altura dos joelhos. A primeira lápide do túmulo de Galvão teria tido o mesmo destino de sua batina, sendo pouco a pouco levada pelos devotos (as pedras do túmulo eram colocadas em copos com água para tratar doenças). Em 2007 foi canonizado pelo papa Bento XVI em cerimônia realizada em São Paulo.

Sobre o autor Afonso Moreira Jr.

Médium, orador, escritor espírita e palestrante do CCDPE-ECM, é autor de obras paradidáticas e do romance Alma de mulher em corpo de homem. Fundador do Grupo Espírita de Assistência Mediúnica (Geam), no bairro de Santana, em São Paulo. Comunicador da Rádio Boa Nova (1450 AM), de Guarulhos (SP). No programa Espiritismo ao Vivo transmitido pelas redes sociais, divulga livros e responde perguntas à luz das Obras Básicas de Allan Kardec. Participa do diálogo inter-religioso promovido pela Casa de Reconciliação de São Paulo, e da Frente Inter-Religiosa Dom Paulo Evaristo Arns por Justiça e Paz. facebook.com/afonsomoreirajunior

 

Posted in POSTS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *